ÁREA RESTRITA

Notícia

EM 23/03/2018 ÀS 2:43
Associada: mensagem para o Dia Internacional das Mulheres

No Dia Internacional das Mulheres, a ADB/Sindical homenageia todas as mulheres, em especial as mulheres diplomatas, e recorda que há, ainda, um longo caminho a ser percorrido para superar a desigualdade entre homens e mulheres na carreira diplomática.

O dia 8 de março é uma data para celebrar a luta histórica das mulheres na conquista de direitos, no combate ao assédio e a quaisquer outras formas de discriminação e de violência. É também uma data para avaliar os desafios a serem superados e as metas que ainda devem ser alcançadas, como a maior representatividade feminina em cargos de comando, a superação de preconceitos e a passagem do discurso à prática quanto à implementação de medidas que promovam o empoderamento feminino e assegurem a punição adequada em casos de assédio, discriminação e outras formas de violência contra a mulher.

A ADB/Sindical recorda que coube à diplomacia brasileira, por meio de Bertha Lutz, atuar com protagonismo na inserção do princípio da igualdade de direitos entre homens e mulheres na Carta das Nações Unidas, na Conferência de São Francisco, em 1945. Esse pioneirismo deve ver-se refletido também no trabalho e no cotidiano do Ministério das Relações Exteriores, por meio de um engajamento efetivo com ações que promovam maior igualdade de gênero e que demonstrem um compromisso firme e constante de vigilância quanto a posturas de discriminação e de violência contra a mulher, dentro e fora do Ministério.

Em um ano em que se completam cem anos do ingresso da primeira mulher na carreira diplomática e em que a Organização das Nações Unidas anunciou ter alcançado paridade de gênero nos cargos de direção de seu Secretariado, a ADB/Sindical manifesta seu firme compromisso com a promoção, proteção e ampliação dos direitos das mulheres, ressaltando também avanços recentes no Ministério como a criação do Comitê Gestor de Gênero e Raça, o engajamento do Grupo de Mulheres Diplomatas e a aprovação recorde de mulheres na turma de 2017 do Instituto Rio Branco.

A ADB/Sindical defende que a maior diversidade nos quadros da carreira diplomática, em termos de gênero e raça, favorecerá uma maior e melhor representatividade dos anseios da sociedade brasileira na elaboração da política externa, bem como na condução dos trabalhos do Ministério das Relações Exteriores. A carreira diplomática deve ser uma expressão real dos valores defendidos pela política externa brasileira. Nesse contexto, a defesa da igualdade de gênero assim como o repúdio e o combate a quaisquer formas de assédio constituem uma agenda fundamental para os trabalhos da ADB/Sindical, que atua em defesa da diplomacia e dos(as) diplomatas brasileiros(as).

 
 
 
 

Carta “ADB Mulheres”, enviada à Secretaria Geral do MRE em 22/12/2017

 
 

Brasília, 22 de dezembro de 2017

A Sua Excelência
Embaixador Marcos Bezerra Abbott Galvão
Secretário Geral das Relações Exteriores

Excelência,

Ao renovar meus mais sinceros agradecimentos pelo canal aberto de interlocução que Vossa Excelência amavelmente nos franqueia junto à Secretaria Geral das Relações Exteriores, venho transmitir-lhe, em nome dos diplomatas brasileiros, o sentimento de mais profundo repúdio a quaisquer formas de violência e discriminação contra a mulher.

Como é do conhecimento de Vossa Excelência, a diplomacia brasileira esteve historicamente envolvida na defesa dos direitos da mulher. Agimos sempre com a convicção de que a proteção e a ampliação desses direitos refletiam um imperativo constitucional, moral e político da sociedade brasileira: combater a violência contra a mulher e promover a igualdade real de gênero no Brasil e no mundo.

Esse mesmo sentimento esteve recentemente na origem de um movimento reunindo mulheres diplomatas brasileiras na luta contra o assédio e na promoção dos direitos da mulher em nosso Ministério.

Caso recente de violência contra a mulher envolvendo colega de profissão, que, aliás, não foi ato isolado, causa, assim, não só a mais justificada indignação, como também nos recorda a todos da necessidade do zelo e da fiscalização permanentes pelos órgãos competentes do Ministério das Relações Exteriores para que tais práticas inadmissíveis e contrárias ao espírito que nos move na diplomacia não voltem a ocorrer entre nós.

Convencida de que estamos unidos na construção de um Itamaraty onde o gênero e a raça nos fortalecem em torno de um mesmo propósito, servir ao Brasil, peço que aceite, Excelência, os votos de minha mais elevada estima e consideração.

Vitoria Alice Cleaver

Presidente
Sindicato dos Diplomatas Brasileiros (ADB-Sindical)
Associação dos Diplomatas Brasileiros

Ministério das Relações Exteriores
Secretaria Geral das Relações Exteriores
Subsecretaria Geral do Serviço Exterior